BÓCIO ENDÊMICO

27 jan

Quando pensei em escrever sobre bócio endêmico descobri muito mais que um simples fato de saúde publica do passado no qual era diagnosticado a presença de nódulos na região da glândula tireóidea, há uma ligação com todo um contexto histórico em relação aos problemas com a iodação do sal durante 1992 a 2003.

Devido a motivos legais os órgãos responsáveis pela distribuição a indústria salineira tiveram dificuldades de adquirir iodato de potássio para repassar as empresas que refinavam o sal, em frente a esse acontecimento o congresso nacional e o ministério da saúde redigiram um documento para âmbito nacional que investiria na distribuição de iodo para prevenção e controle das moléstias decorrentes da carência de iodo.

O ministério da saúde programou planos de ação e iniciou uma operação de caráter fiscalizador a adição correta de iodo ao sal, controlando a concentração retirando as amostras de diferentes marcas do comércio para um maior controle.

Com o passar dos anos os níveis de iodo deixaram de ter maior atenção na saúde, anos mais tarde somente após a criação da ANVISA em 1990, foi cancelado segunda a autoridade da agência nacional de saúde a distribuição gratuita de iodato de potássio as empresas de beneficiamento de sal, normatizando as empresas as proporções de 40 a 60mg por quilograma de sal na adição de iodo, mais mesmo assim com a forte cobrança da ANVISA anos mais tarde mais precisamente em 2000 foi realizada nova analise através da urina de iodo em escolares e o resultado foi altos níveis de iodúria, ou seja, a concentração de iodo no sal estava acima do recomendado pelo ministério da saúde, posteriormente a população brasileira durante esse período estava ingerindo maior quantidade diária de sal iodado.

O excesso de iodo consumido pela população pode levar a conseqüências graves, provocando o bócio nodular, hipertiroidismo decorrente ao acumulo de nódulos glandulares que passam a secreta em quantidade excessiva os hormônios tireóideos T3 e T4 desregulando o metabolismo e o equilíbrio do organismo. O hipertireodismo  induzido por iodo é especialmente perigoso aos idosos  por apresentarem maior risco de patologias cardiovasculares por influenciar na pressão sanguínea e no sistema da bomba de sódio e potássio por causa da ingestão de sal.    

Enfim, o consumo de iodo é importante para o funcionamento da tireóide. Por que no Brasil a legislação permitiu a adição de iodo ao sal de cozinha? Porque o sal está na mesa de todos os brasileiros, o iodo também é importante para o funcionamento do organismo não só da tireóide ele é importante para a síntese dos hormônios da tireóide que regulam o SNC e também o metabolismo energético do organismo.

Os alimentos fontes de iodo são de origem marinha, leite, carnes e cereais, as frutas e vegetais são muito pobres em iodo, na verdade os alimentos fontes possuem baixos níveis de iodo para suprir a necessidade do organismo, devido a isso foi definido ao sal de cozinha a adição de iodo para disseminar essa necessidade a população, os riscos de um consumo insuficiente de iodo é a síntese ou a não síntese dos hormônios da tireóide, como eles são importantes hormônios para o SNC, metabolismo energético e crescimento seria uma deficiência em algum desses aspectos importantes.

         By: William Souza 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s